As vantagens e os riscos da atividade física

by admin on 01/02/10 at 12:00 am

Diversos estudos sugerem que os benefícios da atividade física incluem de uma diminuição nos níveis de colesterol até uma redução do risco de câncer de cólon. No entanto, os médicos garantem que não é preciso se matricular em aulas de ginástica ou correr a maratona de Nova Iorque e lembram a necessidade que os corpos sedentários têm de se adaptar gradativamente às exigências do movimento. “Há dois tipos de exercício, o anaeróbico e o aeróbico”, explica Maurício Haddad, presidente da Sociedade Argentina de Medicina do Esporte. “No primeiro, a performance é igual para qualquer pessoa: durante os primeiros sete minutos não é possível estabelecer a diferença entre as pessoas acostumadas a treinar e as que não estão acostumadas.

Mas, quando a pessoa passa para a fase aeróbica, pode-se notar a diferença”. Os benefícios decorrentes do treinamento regular são colhidos nesta etapa. Se um dia pode-se correr apenas 100 metros sem chegar à beira do desmaio, em pouco tempo poderá alcançar-se 150 metros e depois 300 ou mais, com passo seguro e um sorriso de orgulho.

Antes de vestir o short

De qualquer forma, antes de exigir o corpo é necessário adotar precauções básicas. Se o atleta urbano levar sobre suas costas uma história de sedentarismo cristalizado, será prudente ele fazer um check-up prévio, principalmente se ele/ela tem mais de 35 anos. “Os exames clínicos são recomendáveis, uma ergometria, um teste de consumo de oxigênio e uma sondagem nutricional”, sugere Haddad. Depois, antes de cada sessão de treinamento (um jogo de futebol, ou fazer cooper no parque), são recomendados 10 minutos de pré-aquecimento, trotando devagar e fazendo exercícios de alongamento. “Trata-se de uma medida de precaução mínima para evitar a ruptura do músculo”, diz Haddad. Durante o esforço, sugere-se não ultrapassar 120/140 pulsações por minuto, e, antes de ir para o chuveiro, é conveniente fazer uma série adicional de alongamentos. “Podemos treinar um pouco cada dia, mas o aumento do treinamento deve ser gradativo. Devemos fixar objetivos curtos e ultrapassá-los cada dia um pouco”, afirma o especialista. O fim do heroísmo Finalmente, devemos levar em conta que meia hora por dia de treinamento moderado -por exemplo, caminhar rapidamente ou subir escadas, tudo junto ou ao longo do dia- é suficiente para reduzir uma terceira parte dos problemas cardiovasculares. “Uma alternativa para pessoas ocupadas é evitar os elevadores ou estacionar o carro a dez quarteirões do trabalho”, diz Haddad. Outra possibilidade -muito mais remota- é que as empresas aceitem oferecer a seus funcionários meia hora de treinamento físico. “Muito dinheiro seria economizado por causa da diminuição do estresse e do aumento da produtividade”, destaca o médico. Seja como for, devemos encontrar uma maneira de acrescentar uma dose de movimento à vida.

Leave a Comment