Pintas e sinais na pele: por quê aparecem e quando se preocupar?

Jan 16

pinta ou sinal

O que são pintas?
As pintas ou sinais (termo médico: nevos melanocíticos) são lesões benignas da pele que em geral não produzem nenhum sintoma. A palavra melanocítico que dizer “feita de melanócitos”, que são células que produzem o pigmento da pele (melanina). Algumas pintas podem já estar presente ao nascimento e por isso são chamados nevos melanocíticos congénitos. As pintas podem ser encontradas em qualquer lugar do corpo, incluindo palmas e plantas, genitália, olhos e couro cabeludo.

Por que as pintas aparecem?
A maioria das pintas aparece durante a infância e adolescência - são os nevos adquiridos. O aparecimento está relacionado com a predisposição genética e a quantidade de exposição ao sol. É normal aparecem mais pintas até os 30-40 anos de idade. Muitas pintas podem tornar-se elevadas e apresentam pêlos na superfície. Na face é comum elas se tornarem cor-da-pele com o tempo.

Minha pinta está mudando, tenho que me preocupar?
É importante estar atendo à sua pele e prestar atenção às pintas do seu corpo. O risco de uma pinta tornar-se câncer de pele (melanoma) de uma maneira geral é baixo, mas existe. Procure um médico dermatologista se você observar que a pinta está crescendo, tornando-se assimétrica, com as bordas irregulares ou com alteração de cor (com diferentes tons de marrom, preto ou rosa). Se é uma pinta nova, observe as características e veja se há semelhança com suas outras pintas. Se o sinal sangra ou produz secreção, ou se é muito diferente das suas outras pintas, também é recomendada a opinião especializada para descartar câncer de pele.

Como é possível reconhecer uma pinta?
As pintas banais podem apresentar-se com variados aspectos. De um modo geral, elas tendem a ser menores que 6mm, simétricas, com uma superfície regular, podendo variar de clara à escura, de formato arredondado ou ovalado. Muitas pintas podem tornar-se elevadas e ter pelos.

Verrugas, ceratoses seborréicas e pintas são a mesma coisa?
Apesar de muitas vezes se parecerem clinicamente, não são a mesma coisa. As pintas são aglomerados benignos de melanócitos e podem converter-se em câncer de pele. As ceratoses seborréicas são lesões que podem parecer a uma pinta pois também podem conter pigmento. Elas tendem a surgir com a idade, e muitas vezes se confundem a um câncer de pele, principalmente se irritadas ou inflamadas, o que leva muitas vezes a sua remoção. O exame de histologia diferencia facilmente uma ceratose seborréia de um câncer de pele. As verrugas são mais comuns na infância e são de origem viral.


As pintas podem ser tratadas?
É possível remover a pinta através de cirurgia. É muito importante e recomendado que toda pinta removida seja enviada para exame de histologia (visualizar as células da lesão sob o microscópico), independente do motivo da retirada, para se obter um laudo das características desta lesão e assim confirmar sua origem. Algumas pintas podem ser tão grandes e em localizações que tornam a remoção completa difícil ou impossível. É preciso levar em conta que a remoção agrega o risco de uma cicatriz, inclusive de cicatrizes inestéticas como cicatriz hipertrófica ou quelóide.

Por que remover uma pinta?
A maioria dos sinais por serem benignos e assintomáticos não requerem nenhum tratamento. Está indicada a remoção em caso de pintas suspeitas para confirmar ou descartar câncer de pele. Quando a pinta constantemente machuca e gera incômodos também se considera a remoção. Alguns pacientes importam-se muito com a aparência da pinta, levando à retirada da mesma por motivos estéticos.

É possível congelar a pinta?
Outros métodos de remoção como laser ou congelamento (crioterapia) não são normalmente indicados para retirada de sinais, pois são métodos destrutivos que não permitem a análise da peça no microscópico. Também não garantem a completa remoção, o que torna a avaliação de uma possível recidiva mais difícil, pois a cicatriz altera a arquitetura da área e pode fazer com que a pinta pareça como um câncer de pele.

Quando é indicado acompanhamento regular das pintas por dermatologista?
Pacientes com centenas de pintas ou com pintas atípicas devem fazer acompanhamento regular com dermatologista já que possuem mais risco de desenvolver câncer de pele. Também é indicado avaliação dermatológica de todo o corpo para pacientes que já tiveram melanoma ou que possuem parentes que tiveram melanoma.

O que fazer para prevenir o câncer de pele?
Cuidar do excesso de exposição solar e evitar queimaduras solares é a principal medida. Roupas e chapéus são protetores mais eficazes. Evitar estar sob sol diretamente entre 11 e 3 da tarde. Utilizar protetor solar com pelo menos fator de proteção 30 nas áreas de pele não cobertas pela roupa, aplicando 15min a 30 minutos antes da exposição. É preciso reaplicar a cada 2 a 3 horas ou após mergulho.

Doutor(a),

ListaMédicos é o maior guia de busca de médicos, consultórios e especialistas de todo o Brasil, com mais de 120.000 profissionais cadastrados.