Terapia ajuda quem tem ereção mas nao sente prazer

by admin on 15/10/09 at 12:00 am

A psicoterapia associada ao uso do Viagra amplia as chances de sucesso do medicamento em pacientes que conseguem ter ereção e até ejaculam, mas não chegam a alcançar a satisfação (orgasmo). Aos consultórios psiquiátricos vão usuários do medicamento que reclamam da falta de prazer, apesar de não “falhar” no momento da relação sexual. Há também relatos de homens que chegam a ejacular e não sentem o orgasmo. “Os efeitos do remédio não devem ser medidos apenas pela ereção. É preciso levar em conta se o homem está tendo pleno prazer sexual, ou seja, se ejacula e, principalmente, se chega ao orgasmo”, diz a psicóloga Maria Virgínia Cremasco Grassi, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas (Unicamp), Brasil. “A falta de uma dessas indicações deve ser tratada como um sintoma psicopatológico”, explica a especialista. Masculinidade em jogo Para identificar por que alguns homens que tomam o remédio conseguem ter ereção e não chegam ao orgasmo a psicóloga da Unicamp está concluindo um estudo com 25 voluntários. São indivíduos que eram impotentes e resolveram testar a eficácia das pílulas. Aproximadamente 20% revelaram que, mesmo alcançando a ereção, sofrem de algum tipo de distúrbio que os impede de ejacular ou obter satisfação plena. A angústia, a depressão e a ansiedade geralmente antecedem o período da relação sexual, de acordo com os depoimentos dos pacientes. Na opinião da especialista, os relatos são típicos de quem coloca a própria masculinidade em questão. “O fato de ter que tomar um remédio para fazer o pênis funcionar incomoda profundamente alguns homens. Eles passam o tempo todo se cobrando e não conseguem investir na relação sexual a ponto de sentir o orgasmo”, afirma Maria Cremasco Grassi. Outro sentimento que se manifesta durante o ato sexual, explica a psicóloga, é a insegurança. “Ter a obrigação de cumprir com a missão atrapalha a excitação, apesar do pênis estar ereto o tempo todo.” Como encontrar ajuda Segundo a especialista, para avaliar se alguma coisa está errada o homem que toma Viagra deve se basear em três condições básicas. A primeira é a sensação do desejo sexual, seguida pela busca da satisfação e, finalmente, a satisfação. “A sexualidade deve ser encarada como qualquer outra função do corpo. Se uma das etapas não for preenchida é sinal de que existem problemas”, diz. Quando o homem não consegue encontrar a solução é preciso recorrer ao tratamento psicoterapeutico. “Fazer terapia não significa ter que passar horas falando da vida. Dependendo do problema, seja uma depressão ou angústia, os caminhos para cura podem ser facilmente encontrados”, conclui. Matéria de abril de 2000

Leave a Comment