A hora certa para comer

Aug 10

Existe um horário para comer e engordar menos? Segundo os seguidores do higienismo, sim. Depois que o sol se põe, o organismo diminui seu ritmo e uma refeição que seria adequada no almoço passa a ser excessiva no jantar. Teoria que encontra apoio no ritmo circadiano do organismo. E nas indicações de alguns médicos. Afinal, respeitando-se estes princípios, fica muito mais fácil perder ou manter o peso. O ritmo circadiano corresponde ao ciclo de vigília e descanso do organismo, ditado pela melatonina — hormônio liberado à noite, na escuridão, aproximadamente uma hora depois que pegamos no sono. “Durante o dia, as células estão ativas, com as membranas voltadas para absorver energia. À noite, o ciclo se inverte. É período de descanso e as células estão eliminando radicais livres”, esclarece o endocrinologista Leoni Iribarrem. Ouro, prata ou um peso a mais? Segundo ele explica, o que determina o peso é a termogênese noturna. Em outras palavras, carboidratos pela manhã são ouro, à tarde são prata e à noite, matam. Ou seja, comendo de acordo com o ritmo circadiano, quando começa a escurecer, devemos fechar a boca. Ou, pelo menos, escolher a refeição com maior critério. Isto porque se durante o dia a termogênese é ditada pela atividade, à noite a necessidade de energia do organismo em descanso é apenas a que for suficiente para manter nossas funções vitais. Logo, quanto menos se comer, melhor. Caso contrário, o que sobra se transforma naquelas gordurinhas indesejáveis que tanto queremos eliminar. O que pode ser também explicado pelo funcionamento do próprio organismo. “De manhã, acordamos com o estômago cheio de ácido clorídrico. Neste horário, alimentos como o leite, por exemplo, e a lactose que ele contém, são mais facilmente digeridos do que à noite, quando a quantidade de ácido no estômago é muito menor, e parte deste leite não será metabolizada. É importante ter cuidado com os alimentos ingeridos à noite Em vez de se transformar em cálcio, ele deixará resíduos que atacarão as mucosas do estômago e do intestino. O que é péssimo para quem tem problemas como colite, por exemplo”, explica. Por isso mesmo, o jantar deve ser frugal. O indicado são sopa de legumes ou iogurte com cereais, tipo All Grain. Logo, uma das primeiras providências para quem quer manter o peso estável ou mesmo perder uns quilinhos é reparar não apenas no que come, mas no que come à noite. Calorias vazias devem ficar de fora das refeições noturnas. Mas o que são calorias? Segundo a nutricionista Karine Lamas, são a quantidade de energia que cada alimento pode dar ao organismo. A questão é que estas calorias podem ser diferentes, dependendo do tipo de alimento. Ou seja, uma coisa é falar das calorias contidas nas proteínas e outra dos carboidratos ou das gorduras. Aliás, falar em carboidratos também é falar de alimentos diferentes. Há os carboidratos de frutas e legumes, e naturalmente os de doces, pães e massas. Evitando carboidratos vazios “E estes são carboidratos vazios”, diz a nutricionista. O que quer dizer que se comermos um bombom, teremos provavelmente a satisfação do chocolate — e o desprazer de saber que o carboidrato, que é o açúcar, e a gordura que nele estão presentes provavelmente se transformarão em tecido adiposo. No caso das frutas, ao contrário, suas calorias significam também fibras, vitaminas e minerais. Enquanto as fibras ajudarão a regular o intestino, os demais elementos se encarregarão de nutrir as células. Mas e o que fazer quando batem aqueles desejos noturnos de chocolate e doces? Em tese, o melhor é se esforçar para comê-los pela manhã ou à tarde, quando o organismo terá tempo e atividade para gastar a energia, as calorias, que ele traz. Será um problema a menos na balança. Segundo o Dr. Iribarrem, o importante é levar em conta todos estes fatores e comer adequadamente.

Doutor(a),

ListaMédicos é o maior guia de busca de médicos, consultórios e especialistas de todo o Brasil, com mais de 20.000 profissionais cadastrados.