Celulite, nunca mais?

Na ditadura da estética, celulite não tem vez. Mas, como toda mulher sabe muito bem, trata-se de praga pior do que erva daninha, que floresce em coxas e nádegas femininas com a maior facilidade. Nem mesmo as magrinhas estão livres. Renitente, muitas vezes não há ginástica, cremes e massagens que consigam dar conta. É principalmente nestes casos mais sem esperanças que vale recorrer a uma medida radical: a subcision. O que começou como técnica desenvolvida pelos americanos Norman e David Orentreich para tratamento de rugas e cicatrizes foi experimentado no combate à celulite. Deu certo. Sua eficácia se mostra basicamente onde os demais métodos apresentam maior dificuldade: eliminar o temido aspecto de casca de laranja que os nódulos de gordura deixam na pele. E isso é fácil de entender. Os furinhos da celulite surgem devido aos septos de tecido conjuntivo, situados na camada de gordura subcutânea, que ligam a pele ao músculo. Quanto mais gordura, mais as pequenas depressões aparecem. Adeus, casca de laranja Em outras palavras, trata-se de algo muito semelhante a um botão preso ao centro de uma almofada, apertando-a. A subcision é uma pequena cirurgia que vai direto ao ponto. Ou seja, com uma agulha especial, introduzida sob a pele, exatamente sob o local do furinho da celulite, cortam-se os septos fibrosos. O que acontece em seguida é como a almofada de onde se retira o botão: ela imediatamente perde a depressão no centro. O mesmo ocorre com a pele de coxas e nádegas com celulite. Não mais repuxada pelo septo fibroso, a aparência enrugada, de casca de laranja, some. “Além de eliminar a tração exercida sobre a pele, corrigindo o relevo deprimido, estas incisões também cortam alguns vasos sangüíneos dos tecidos abaixo da pele. Com isso, formam-se hematomas que estimularão a formação de um novo tecido conjuntivo, preenchendo a área deprimida”, explica a dermatologista gaúcha Dóris Hexsel. Junto com outra dermatologista, a Dra Rosemari Mazzuco, ela foi uma das pioneiras no uso da subcision. Nada de engordar novamente Numa única operação, tratam-se vários furinhos. Se não der para eliminar tudo de uma vez, pode-se programar nova sessão para dali a dois ou três meses. É o tempo também para que os hematomas já tenham desaparecido por completo e os resultados definitivos do procedimento sejam bem visíveis. E o que é melhor: dificilmente a casca de laranja voltará a aparecer. “A melhora da superfície cutânea nos locais tratados é de longa duração. Temos pacientes tratadas há mais de cinco anos, com resultados que persistiram durante todo este tempo”, diz a médica. É preciso, porém, que a paciente se esforce por manter o peso estável e adote hábitos saudáveis, como atividade física constante e boa alimentação. Afinal, aumento de peso é a condição que mais agrava o grau de celulite. Nada impede também que o procedimento seja feito no consultório de um médico especializado na técnica, sob anestesia local. A sessão dura menos de uma hora. Mas é preciso observar certas condições. Desaconselha-se tratar desta forma o abdômen. "Ao contrário de coxas e nádegas, regiões onde não há estruturas anatômicas importantes nem vasos de grande calibre, no abdômen também corre-se o risco de haver uma hérnia não aparente", explica a Dra. Dóris. Só vale para os casos mais graves de celulite Quem tem um caso brando de celulite também deve procurar outra forma de atenuá-la. A subcision é indicada apenas para a celulite de graus 3 e 4, ou seja, os mais graves. E também pode ser um recurso para tratar possíveis seqüelas de uma lipoaspiração. Acima dos 18 anos, com boa saúde, qualquer mulher pode candidatar-se. Desde que submetida a uma detalhada avaliação inicial, para excluir-se a possibilidade de algum fator que contra-indique. O pós-operatório é simples. Os hematomas desaparecem espontaneamente. E a única precaução exigida é a de que se use uma cinta compressora por aproximadamente 30 dias, tempo em que também se deve evitar a exposição solar. Mas ela também vai logo avisando que o procedimento não trata flacidez nem gordura localizada, condições que freqüentemente aparecem associadas à celulite. Quando bem indicada, segundo a médica, os bons resultados da subcision ficam próximos a 100%. Depois, é só encarar o biquíni e enfrentar o teste da praia. Com a maior confiança de exibir coxas lisinhas.

Doutor(a),

ListaMédicos é o maior guia de busca de médicos, consultórios e especialistas de todo o Brasil, com mais de 20.000 profissionais cadastrados.