Como se recuperar no dia seguinte

Entra ano, sai ano, e algumas cenas sempre se repetem nas festas de Natal e de réveillon. São as cenas provocadas pelos excessos, pela perda de limites. Aproveitando o clima de comemoração da época, muitos perdem o controle e exageram na comida, na bebida e, às vezes, até na falação. No dia seguinte, vem a conta: constrangimento, dor de cabeça, diarréia. Mas há muitas formas de se evitar o mal-estar, seja ele físico ou emocional. Em se tratando de comida, a dica da nutricionista Andréa Abdala, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é moderação. Segundo ela, a melhor maneira de evitar os estragos pós-ceia é comer moderadamente, principalmente, os alimentos gordurosos. “Comidas como carne de porco, maionese, rabanadas e castanhas têm alta concentração de gordura. Quando ingeridos em excesso, ocorre uma saída lenta da gordura do estômago. O resultado é um mal-estar gástrico”, avisa Andréa. Quando a gordura chega ao intestino, vinda do estômago, a bile e uma série de enzimas ajudam na digestão, atuando como uma espécie de detergente. Se a gordura for excessiva, no entanto, a quantidade de bile pode não ser suficiente para realizar o trabalho. Então, a gordura restante prossegue para o intestino grosso, lubrifica as alças do órgão, podendo causar diarréia. Dicas para se sentir melhor no dia seguinte ·Durante todos os dias festivos, é preciso ingerir muito líquido, principalmente água. ·Líquidos gasosos, como água com gás e refrigerante, ajudam a reduzir o mal-estar causado pelos problemas gastrintestinais. Segundo a nutricionista Andréa Abdala, o gás da bebida distende o estômago e, assim, o canal que leva a comida ao intestino se abre mais, facilitando a digestão. ·Água de coco é um santo remédio para quem se excedeu nos comes e bebes. Rica em potássio, a bebida repõe os minerais perdidos na diarréia. ·Na ceia, sempre deve haver frutas (de preferência, aos pedaços para facilitar o consumo) e saladas verdes. Elas ajudam a limpar o organismo. Beber sem se alimentar é proibitivo O consumo excessivo de álcool também é visto com freqüência nas ocasiões festivas. Segundo o clínico Sávio Silva Santos, os efeitos da bebida podem ser espalhados por várias partes do corpo. A melhor forma de combatê-los é ingerir muita água. Os piores danos ocorrem quando a pessoa bebe álcool sem ter se alimentado antes. “Ingerido antes da refeição, o álcool é absorvido mais rapidamente pela corrente sangüínea, podendo até levar à embriaguez quase imediata”, avisa dr. Sávio. Segundo a nutricionista Andréa Abdala, sem a presença do alimento no estômago, o álcool agride as paredes do órgão, causando aquela queimação típica de gastrite e úlcera. Aliás, quem tem predisposição a esses problemas deve tomar cuidado redobrado com as bebidas alcoólicas. “O álcool estimula o ácido clorídrico, produzido no estômago, que só deve ser liberado na digestão”, explica Andréa. Excessos verbais podem causar constrangimento após Natal Quando a ressaca é moral, a situação pode ser ainda mais complicada. É o que acontece com pessoas que tiram a noite de Natal ou de réveillon para falar tudo o que não tiveram coragem durante o ano. Os efeitos desastrosos disso podem ser sentidos nos dias seguintes. Segundo a psicóloga Lúcia Bello, quem resolveu transformar a noite de reunião familiar na “hora da verdade” deve, no mínimo, pedir desculpas ao dono da casa no dia seguinte. Mandar um bilhetinho, agradecendo a hospitalidade e dizendo que lamenta o ocorrido, pode ajudar a reparar os danos. “O mais indicado seria a pessoa se controlar antes de tirar do baú todas as desavenças e mágoas. Se não estiver se sentindo bem, ir embora mais cedo é a melhor saída. Para ter uma noite agradável, é preciso saber equilibrar as coisas”, aconselha a psicóloga. Matéria de Dezembro de 2000

Doutor(a),

ListaMédicos é o maior guia de busca de médicos, consultórios e especialistas de todo o Brasil, com mais de 20.000 profissionais cadastrados.